sistema prisional

Detentos entram em greve de fome; e policiais penais permanecem com a Operação Legalidade

Nem todos os pavilhões da CPP e do Luz do Amanhã aderiram à greve de fome

19/10/2020 16h19Atualizado há 1 mês
Por: Redação
107
Carta enviada à direção da unidade prisional
Carta enviada à direção da unidade prisional

Nesta segunda-feira,  19, os reeducandos do sistema prisional da região sul do Tocantins, Casa de Prisão Provisória de Gurupi (CPP) e Centro de Reeducação Social Luz do Amanhã, em Cariri, iniciaram uma greve de fome para reivindicar o retorno das visitas. Conforme uma policial penal da CPP, lá apenas o pavilhão A aderiu à greve de fome.

No Luz do Amanhã, houve mais cedo uma rebelião que já foi contida e conforme um profissional que trabalha na unidade nem todos os pavilhões aderiram ao movimento grevista.

Um detento da CPP enviou uma carta ao diretor da unidade explicando que não aguentam mais o distanciamento dos familiares, alegam que na cidade tudo já voltou a funcionar, reivindicam melhor alimentação, retorno às celas dos televisores, dois banhos de sol ao dia, e a entrada de itens por parte dos familiares (cobal).

Enquanto isso, os policiais penais afirmam que continuarão com a Operação Legalidade, cumprindo apenas as atribuições previstas na legislação e cobrando do Governo o pagamento de todos os direitos trabalhistas.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.