Artigo de Opinião

Cada qual na sua bolha! Como avançar?

Grupos que se reúnem para fortalecer o que pensam, nunca para confrontar seus pensamentos e aprender novas visões!

04/12/2020 20h09
Por: Ricardo Almeida
68

A dialética, na Grécia antiga, tinha como conceito “a arte do diálogo”. Para Leandro Konder, na concepção moderna a dialética “é o modo de pensarmos as contradições da realidade, o modo de compreendermos a realidade como essencialmente contraditória e em permanente transformação”.

Na mesma Grécia, Parmênides, dizia que as mudanças (o movimento) eram superficiais, e não haveriam condições de mudanças profundas, o ser era imutável, surgia então o que hoje chamamos de metafísica.

Porém, as revoluções ocorridas na história humana, mostrou que a mudança é inevitável e a metafísica não conseguia responder a elas. Montaigne disse: “Todas as coisas estão sujeitas a passar de uma mudança a outra; a razão, buscando nelas uma subsistência real, só pode frustrar-se, pois nada pode apreender de permanente, já que tudo ou está começando a ser – e absolutamente ainda não é – ou então já está começando a morrer antes de ter sido”.

Heráclito disse: "tudo flui”, porém,“tudo flui enquanto resultado da tensão contínua dos opostos em luta". Porém, hoje vivemos em um tempo em que a luta dos opostos está diminuída devido às bolhas das redes sociais, que se fortalecem devido à intolerância, a falta de paciência para com o diálogo e naturalmente para o surgimento de uma dialética, desta forma, aparentemente a metafísica volta a se fortalecer em uma época que jamais poderíamos imaginar que isso pudesse ocorrer.

Quais podem ser as consequências desta nossa condição enquanto sociedade? Com certeza são muitas!

Basta entender os conceitos colocados no início deste artigo que podemos entender as consequências. Elas aparecem constantemente e infelizmente devido, principalmente aos efeitos das bolhas, os “de um lado” ou os “de dentro” das bolhas não conseguem perceber, e ao que parece nem querem! Por isso, se encasulam.

Chegamos ao ponto de termos uma lista feita pela empresa “BR+ Comunicação” dentro de um contrato fechado com o governo federal e utilizado pelo Ministério da Economia, onde se relacionam os “influenciadores” da sociedade separados pelas denominações: “detratores”, “neutros” e “favoráveis” ... (sendo que alguns aparecem listados em mais de uma “bolha”, estranho, tudo muito estranho! A falta de lógica é uma consequência deste tempo)

Temos de Marco Antônio Villa, passando por Cristiana Lobo a Rodrigo Constantino, cada um no seu “quadrado” respectivamente detrator, neutra e favorável!

É tudo muito ralo, baixo, sem nível! Certo está Leonardo Boff “Estamos imersos numa angustiante crise civilizatória que ganha corpo nas várias crises (climática, alimentaria, energética, econômico-financeira, ética e espiritual”!

Quando conseguiremos sair deste pesadelo? Se conseguirmos quanto tempo levaremos a voltar pelo menos em um marco civilizatório mais evoluído? Com certeza sem dialogo e sem a dialética, levaremos muito tempo, e eu meu caro leitor, tenho que confessar que estou cansado de tentar o diálogo com pessoas fora de minha bolha!

Contudo, vamos seguir e não deixar de acreditar, mesmo porque não seria possível, a mudança não chegar! Ela pode até demorar mais que desejamos, mas virá!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.