Artigo de Opinião

2021 ou 2020 Parte 2?

Paulo Mello

Paulo MelloPaulo Melo é consultor político com capacitação em comunicação política e legislação eleitoral. Ele é o mais novo colaborador do Jornal Cocktail, e escreve às segundas-feiras. Acompanhe: jornalcocktail.com.br

25/01/2021 14h27Atualizado há 1 mês
Por: Paulo Mello
251

Mais uma década se inicia deixando para trás um bocado de aprendizados. Em sua maioria, sobre os erros cometidos. Os últimos 10 anos no Brasil foram históricos, saímos de 2010 como um país em ascensão, e finalizamos com o país mergulhado em uma crise política/econômica, que já existia antes da pandemia, e que foi agravada com a crise sanitária.

 

A polarização política chegou ao seu limite, quando o orgulho de ser brasileiro que todos encontram durante a Copa do Mundo, foi algo que não decolou durante a pandemia, e a solidariedade não vingou junto à grande influência de discursos e atitudes nada empáticas dos lideres do país.

 

As atitudes de quem está furando a fila na vacinação contra o COVID-19 começaram bem antes do surgimento do vírus. Familiares de políticos, gestores, os próprios políticos e até mesmo filhos de empresários “influentes” sempre tiveram prioridade em nosso país e agora usam o poder público para continuar com essas práticas.

 

Já que tudo que está ruim pode piorar, imagine você caro leitor, todos esses problemas sendo agravados com informações falsas. A última da vez foi um líder religioso que usou de sua posição para “alertar” seus fiéis de que há doenças na vacina, incentivando assim, seus seguidores a recusa da vacina. Como nada do que apontaram tem comprovação, a justiça já tomou as providências necessárias. Esta é uma das inoportunas ações que vem tomando viés dentre tantas. Já dizia o Engenheiro Aeroespacial americano Edward A. Murphy: “Não importa quantas vezes uma mentira for demonstrada, sempre haverá uma porcentagem de pessoas que acreditam que é verdade”.

 

O poder público em todos os níveis da Federação tem falhado imensamente desde o início da crise sanitária no Brasil. Manaus por sua vez, sofre com a escassez de oxigênio, e por isso, muitas pessoas têm perdido suas vidas. Desde então, a crueldade  é o que prevalece por àqueles seriam os responsáveis por salvar vidas, quando um caminhão cheio de cilindros de oxigênio que estava sendo desviado é pego pela polícia. 

 

Contudo, algumas organizações, países e aqueles que podem ajudar, têm enviado oxigênio para Manaus. Nem tudo está perdido, mas estamos longe de onde deveríamos estar. Que nessa década possamos evoluir, e que esse início turbulento seja o final de um ciclo que está deixando dores e marcas profundas. O futuro do mundo e do Brasil depende mais de nós como seres humanos, do que da própria ciência.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.