Artigo de Opinião

A Inteligência Artificial possui direitos e deveres?

Os assédios de Bia

22/04/2021 19h34Atualizado há 2 semanas
Por: Ricardo Almeida
71

Recentemente o Bradesco lançou uma campanha publicitária contra os assédios que sua Inteligência Artificial (IA), Bia, sofre por parte de alguns usuários do serviço.

Aparentemente é uma campanha contra o assédio, o que é absolutamente louvável, pois, naturalmente nenhuma forma de assédio deve ser tolerado. Mais é só isso?

Acredito que esse tema, principalmente ao envolver uma Inteligência Artificial (IA) merece uma discussão muito mais profunda, pois envolve a definição de como iremos encarar no futuro a relação entre o ser humano com as Inteligências Artificiais, ou seja, os robôs.

Não é mais ficção, a IA está em operação e diversas empresas já as colocam no nosso dia a dia: Bia, Sophia, Jocy entre outras estão por aí.

Inteligência Artificial (IA) é uma expressão criada, em 1955, pelo cientista da computação e matemático americano John McCarthy. O conceito significa que máquinas e computadores possuem uma percepção da natureza que os rodeia e podem ter ações que maximizem seus sucessos como programas.

Esses programas conseguem ler bancos de dados que possuem, por exemplo, as dúvidas frequentes, dos usuários entre outras “habilidades”, que permitem a máquina resolver problemas dos clientes.

No filme AI - Artificial Intelligencede Steven Spielberg, tem como sinopse a seguinte apresentação “o garoto David Swinton (Haley Joel Osment), que irá passar por uma jornada emocional inesquecível”. Exatamente, o filme descreve um robô, garoto, que possui uma AI, porém, além dela ele possui sentimento, ou seja, um passo à frente no que estamos começando a vivenciar, pois, as AIs de hoje não possuem sentimentos, se é que um dia irá possuir.

Até aí tudo bem e tranquilo. Porém, devemos nos lembrar do lançamento da Sophia, a robô que prometeu destruir humanos e que neste ano deve começar a ser produzida em massa.

Essa robô é a mesma que ganhou cidadania da Arábia Saudita em 2017. No seu lançamento, em março de 2016, enquanto era apresentada em uma feira de tecnologia do Texas, David Hanson, da Hanson Robotics, fez uma brincadeira ao perguntar-lhe: "Você quer destruir os humanos? Por favor, diga que não...". Sophia cerrou os olhos, "pensou", e afirmou: "OK, vou destruir os humanos".

Pois bem, a reflexão que devemos ter após relembrarmos alguns fatos sobre a IA, é qual deve ser os direitos e deveres destes robôs?

Com a chegada do 5G, a chamada “internet” das coisas, muitos de nossos aparelhos e eletrodomésticos vão ganhar uma IA, então te pergunto: não poderemos mais chutar nossa geladeira quando estivermos furiosos?

Essa deve ser uma reflexão séria e de muita discussão na sociedade, o Bradesco ao colocar essa campanha no ar, não entra nestas discussões e sim, vem com seu posicionamento de que devemos respeitar sua IA, é só isso?

Acredito que não é só isso e com certeza precisamos pensar e repensar como será nosso futuro...

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.