Teto

Damaso vota pelo fim dos super salários no funcionalismo público

O deputado Osires Damaso (PSC/TO) justificou que é uma forma de impor respeito ao teto constitucional e gerar economia aos cofres públicos

14/07/2021 13h17
Por: Redação

A Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 6726/16, do Senado, que regulamenta quais tipos de pagamentos podem ficar de fora do teto do funcionalismo público, aplicando-se para servidores civis e militares, magistratura e detentores de mandato. Devido às mudanças, a matéria retornará ao Senado.

A favor da proposta, o deputado Osires Damaso (PSC/TO) justificou que é uma forma de impor respeito ao teto constitucional e gerar economia aos cofres públicos. “Além de impedir salários acima do teto (que é de R$ 39.293,32), o projeto cria regras para evitar abusos em pagamentos de indenizações ou ressarcimentos”, disse o parlamentar.

De acordo com o substitutivo aprovado, 30 tipos de pagamentos são considerados indenizações, direitos adquiridos ou ressarcimentos. Entretanto, há limites em algumas delas, geralmente relacionados à remuneração do agente público.

As regras se aplicam aos agentes públicos de todas as esferas de governo (federal, estadual, distrital e municipal) e a todas as esferas de Poder (Executivo, Legislativo e Judiciário), incluindo-se Ministério Público, Defensoria Pública, contratados temporários, empregados e dirigentes de empresas públicas que recebem recursos dos governos (dependentes) para pagar salários e custeio, militares e policiais militares, aposentados e pensionistas.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.