cultura

Ancestralidade, resistência e diversidade cultural no I Encontro de Culturas Tradicionais do Tocantins

O I Encontro de Culturas Tradicionais do Tocantins contou com vivências, oficinas, rodas de prosa, espetáculos teatrais, shows musicais, feira de artesanato e produtos típicos, roda de capoeira e muito mais.

16/11/2021 15h21
Por: Redação

Cerca de 350 artistas representantes de aldeias indígenas, quilombolas, mestres e mestras dos saberes estiveram reunidos no município de Porto Nacional durante dois dias de intensa programação voltada à arte e cultura. O I Encontro de Culturas Tradicionais do Tocantins aconteceu nos dias 12 e 13 de novembro e contou com vivências, oficinas, rodas de prosa, espetáculos teatrais, shows musicais, feira de artesanato e produtos típicos, roda de capoeira e muito mais, apresentados por mestres, grupos culturais, brincantes foliões, dançarinos, palhaços, tamborzeiros, catireiros, suçeiros e comunidade em geral.

 

O organizador do Encontro, Marcio Bello, afirmou que o evento superou todas as expectativas, tanto na qualidade das atrações apresentadas como também na receptividade do público. “Todo muito saiu muito feliz, muito agraciado com esse mergulho nas nossas raízes e tradições, reconhecendo o nosso espaço de produção e reflexão sobre o que realmente é importante para o Estado e de valorização de toda a nossa ancestralidade”, disse o artista. 

Ele destacou ainda a importância do protagonismo feminino na programação, desde a direção executiva de Sulamita Santarém até a participação das dançarinas, suçeiras e artistas de forma geral. “As mulheres estiveram presentes em todos os setores de organização e artístico desse evento, mostrando a força da mulher e protagonismo também na arte e cultura”, relatou Marcio Bello.

A programação contou com a presença do Grupo de Suça Tia Benvinda, Catireiros de Natividade, as palhaças da Trupe-Açu, Grupo de Suça Mãe Ana, Projeto Vereda, Dança Maculelê da Comunidade de Barra da Aroeira,Grupo Batucanto, Turma que Faz, Os Outros e Grupo Tambor de Monte do Carmo.Haverá também feira de artesanato Krahô e Karajá, exposição fotográfica de Emerson Silva e Tharson Lopes e apresentações musicais com Everton dos Andes, Braguinha Barroso, Dorivã, Genésio Tocantins, Relmivan Milhomem e Tambores do Tocantins, dentre outros.

Marcio Bello ressalta ainda a proposta do encontro era apenas de 12 atrações, porém, o evento praticamente dobrou o número de atrações com um total de 24 apresentações. “Conseguimos dobrar a proposta que oferecemos ao edital graças a apoiadores que acreditaram e abraçaram a nossa ideia”, complementou Marcio Bello, ao citar o patrocínio do Prêmio Aldir Blanc Tocantins, do Governo do Estado do Tocantins, com apoio do Governo Federal – Ministério do Turismo – Secretaria Especial da Cultura, Fundo Nacional de Cultura, e apoio da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Secretaria Municipal de Cultura de Porto Nacional e Comsaúde.

O projeto foi inspirado em um dos maiores encontros de culturas tradicionais do Brasil, que acontece anualmente na Chapada dos Veadeiros, Comunidade São Jorge, em Alto Paraíso de Goiás, e que os Tambores já participam há mais de 10 anos e, desde então Marcio Bello sonha em ver algo semelhante acontecer no Tocantins. “O Encontro de Cultura Tradicionais chegou para ficar e reafirmar a necessidade de valorização da nossa ancestralidade”, concluiu, acrescentando ainda que a expectativa é de que a próxima edição aconteça no final do primeiro semestre de 2022.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.