aventura

Aos 58 anos, gaúcho de Não me Toque atravessa o Brasil de bike

Nesta semana, Luciano Graeff passou por Gurupi com o companheiro de aventura, Tainã Graeff

17/11/2021 15h59
Por: Redação
O sonho da dupla de atravessar o País deve se completar até o fim do ano
O sonho da dupla de atravessar o País deve se completar até o fim do ano

Percorrer o Brasil de Norte a Sul em uma bicicleta parece uma aventura um tanto ousada. E esse desafio era o grande sonho do gaúcho, Luciano Graeff, de 58 anos, que mora em Não Me Toque (RS). Depois de alguns anos alimentando este sonho de sair de Oiapoque (AP) ao Chuí (RS) e de algumas experiências com o pedal, 2020, após passar pela Covid-19, decidiu tirar este sonho da gaveta.

No dia 18 de outubro, Luciano, fez as malas, desmontou a mountain bike, aro 29, de 27 marchas, com pneus adaptados, e pegou um voo de Chapecó a São Paulo, seguindo para Belém e, da capital paraense à capital amapaense um navio, e por fim um ônibus ao Oiapoque, para dar início à grande aventura.

Acompanhado do sobrinho, Tainã Graeff, de 33 anos, que mora Paracambi (RJ), saíram de  Oiapoque, no dia 22 de outubro, e esperam chegar em Chuí entre o natal e réveillon, ou, até mesmo nos primeiros dias de 2022.

Os dois aventureiros, que passaram por Gurupi nesta quarta-feira, 16, contam que nestes dias têm se deparado com muita beleza e um povo extremamente acolhedor. “Tu ouve falar do Brasil por pessoas que saíram da minha região, por exemplo, para plantar em outras regiões, e eu quis conhecer a realidade de cada região. Em todos os estados por que passei fui muito bem recebido. A minha motivação realmente é conhecer o Brasil; tem tanta coisa bonita para ver, claro que não tenho o tempo necessário para apreciar tudo. Quanta coisa linda! Quanta água doce! Quanta riqueza! Temos tudo o que muitos países não têm mais e por isso teríamos que investir mais em infraestrutura e melhorar acessos”, ressalta Luciano.

O ciclista veterano já fez o trajeto entre Não Me Toque e Campo Grande (MS), 1.200 km percorridos em nove dias; e também da cidade gaúcha a Posse (GO), em 2015, fechando o percurso de 2.400 km, em 19 dias. Também se aventurou em pequenas viagens pelo litoral catarinense. O que para muitos é loucura, para ele é a necessidade de conhecer o Brasil.  “Sempre foi meu sonho conhecer o Brasil, de sul ao norte, de bike, e comecei a treinar novamente”.

Luciano concorda que o desafio de encarar estes 5.400 km em duas rodas é extremamente ousado. “Muitas vezes pensei que não conseguiria devido à idade, que deveria ter feito antes, mas é ter foco, treino, talvez uma pessoa mais jovem consegue fazer rápido, mas com foco, qualquer pessoa pode fazer”, disse, completando que ficou um ano sem fazer viagens de bicicleta e quando decidiu que faria esta aventura, iniciou uma preparação física, com musculação, por exemplo.

O sobrinho Tainã, que é profissional de Educação Física, sabendo do sonho do tio, decidiu encarar junto e alguns meses antes começou a se preparar para a longa viagem. Viu nesta aventura, a oportunidade de conhecer o Brasil e levar a mensagem do seu esporte preferido: o boxe, além de registar tudo para seu canal ‘ciência do boxe’. “O tio tinha o sonho dessa viagem, estava procurando alguém para aceitar o desafio. Estamos com um gás mais ou menos compatível, e estamos conseguindo prosseguir no mesmo ritmo”, declarou.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.