2ª DOSE

Brasil começou no sábado mega operação de vacinação

A campanha continua até a próxima sexta-feira dia 26; expectativa é que 12 milhões de pessoas tomem a 2ª dose em novembro

22/11/2021 06h32
Por: Redação

Uma força-tarefa em todo Brasil para reforçar a imunidade dos brasileiros contra a Covid-19: o único caminho para acabar com o caráter pandêmico da doença. Para isso, o Ministério da Saúde promove a Mega Vacinação desde o último sábado (20). Os postos de vacinação estão abertos e as doses disponíveis para os 21 milhões de brasileiros que estão aptos para tomar a segunda dose e para os 12 milhões que já podem tomar a dose de reforço.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou do ato de vacinação na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro (RJ). O ministro aproveitou o dia “D” para tomar a dose de reforço e lembrou da importância dessa etapa da campanha.

“Mega Vacinação não é só esse dia. Mega Vacinação é o que estamos fazendo. É a tradição do Brasil. O Sistema Único de Saúde tem essa tradição. E mesmo antes do SUS, nós já fazíamos isso com muita propriedade. O Programa Nacional de Imunizações existe desde 1976. E o que nós queremos? Queremos que cada um dos brasileiros que estão aptos a receber a vacina, procure livremente as nossas salas de vacinação. São 38 mil salas de vacinação em todo o Brasil. E os vacinadores desse País, em nome do Ministério da Saúde, do Sistema Único de Saúde, queria agradecer a cada um deles”, ressaltou o ministro.

No Rio de Janeiro, também participaram da ação de vacinação: a representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), Socorro Gross, o secretário de estado da Saúde do Rio de Janeiro, Alexandre Chiepp, o secretário municipal de saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, e outras autoridades.

A campanha continua até a próxima sexta-feira dia 26. A ação é realizada em conjunto com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Entre os brasileiros aptos para a segunda dose, 2,9 milhões têm entre 30 e 34 anos, faixa etária com o maior número de pessoas que não voltaram ao posto de vacinação. Já 2,8 milhões têm entre entre 25 e 29 anos. Em números absolutos, São Paulo aparece em primeiro lugar, com 4,1 milhões de brasileiros que já podem completar a sua imunização. Em seguida, Minas Gerais com 2,2 milhões de brasileiros e a Bahia com 2 milhões de pessoas sem a segunda dose.

A recomendação do Ministério da Saúde é para que os brasileiros voltem aos postos de vacinação, mesmo após o prazo recomendado pelos fabricantes. Os intervalos entre as doses da Pfizer e Astrazeneca são de 8 semanas e da Coronavc, 28 dias.

Outra estratégia muito importante neste momento é a dose de reforço, que também é foco da Mega Vacinação. O reforço é recomendado para todos os brasileiros adultos, acima de 18 anos, 5 meses após a vacinação completa. A expectativa do Ministério da Saúde é que mais de 12 milhões de pessoas tomem a dose de reforço em novembro. Em dezembro, esse quantitativo deve ser de quase 3 milhões de brasileiros.

Essa orientação para toda a população ocorre baseada em pesquisas científicas que indicam uma queda considerável na imunidade a partir de cinco meses depois da segunda dose. Por isso, é necessário reforçar a imunidade dos brasileiros. A dose de reforço deve ser realizada, preferencialmente, com a vacina da Pfizer. Isso porque os resultados preliminares de uma pesquisa da Universidade de Oxford, encomendada pelo Ministério da Saúde, indica um aumento na imunidade com a combinação de vacinas diferentes para o reforço.

Até agora, o Ministério da Saúde já distribuiu mais de 360 milhões de doses para todos os estados e Distrito Federal, quantitativo suficiente para a realização de todas essas etapas da campanha. Dessas, quase 300 milhões foram aplicadas, ou seja, resta um saldo de cerca de 60 milhões de doses. A pasta já concluiu o envio de vacinas suficientes para a primeira e segunda dose de todos os brasileiros adultos acima de 18 anos.

A maior campanha de vacinação da história do país já vacinou, com a primeira dose, quase 90% do público-alvo, ou seja, mais de 158 milhões de brasileiros. Mais de 70% desse público está completamente vacinado. O avanço da campanha reflete na queda de casos e óbitos no país. Os índices atuais são os mais baixos desde o começo da pandemia no ano passado. Desde abril, quando a pandemia registrou o pico de casos e óbitos, a queda nos índices é de mais de 90%.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.