GREVE DE SERVIDORES

Procuradoria jurídica de Gurupi se antecipa e entra com Mandado de Segurança

Prefeita envia mensagem explicando avanços nos direitos dos servidores

02/05/2022 06h37
Por: Redação
Prefeita Josi aproveita o '1º de Maio' para falar aos servidores
Prefeita Josi aproveita o '1º de Maio' para falar aos servidores

A Procuradoria Jurídica da prefeitura de Gurupi entrou na justiça para tentar obter um Mandado de Segurança contra a possibilidade de greve no serviço público. O pedido, assinado pela procuradora geral, Celma Milhomem, tenta ainda uma decisão favorável liminar, ou seja, antes de julgar qualquer mérito.

Os motivos, segundo a ação, estão nas manifestações que acontecem por parte de várias entidades que representam os interesses dos trabalhadores do município: Apug (que representa os professores da UnirG); a Asaunirg, que cuida dos interesses dos servidores administrativos da Universidade; O SISEMG, dos servidores do município e o SINTET, da Educação.

Entre as reivindicações estão o cumprimento da Data-Base, que existe para garantir o cumprimento dos acordos e está prevista no art 37 da Constituição Federal. O Índice que está sendo divulgado pelas categorias em seus informes dirigidos às categorias é de 10,06%. Tem ainda, de parte do Sintet, a cobrança pelo pagamento do piso salarial para a educação básica, anunciado pelo governo federal, de R$ 3.845,63.

No domingo, dia do Trabalhador, a prefeita Josi Nunes fez um vídeo saudando os trabalhadores do município, e fez referência especial aos servidores públicos para dar uma satisfação às reivindicações das categorias. “Infelizmente, na falta de uma política permamente de valorização do servidor municipal, vários direitos ainda não foram alcançados”, disse Josi.

A prefeita, no entanto, se comprometeu em resolver tudo gratativamente. Segundo ela, seriam necessários algo em torno de R$ 28 milhões para todas as demandas; “e não possuimos”, assegura a prefeita. Ela cita a implantação do PCCR da Educação, de 2017 até a presente data, afirmando que foram investimentos mais de R$ 3 milhões; além de retirada a cobrança do IPASGU do 13º salarário.

Para este mês de maio, Josi Nunes afirmou que irá implantar o enquadramento do PCCR dos servidores do Quadro Geral e da Saúde, sendo que o passivo desde 2015 será pago de forma escalonada. Serão investidos mais de R$ 700 mil por mês, finalizou a prefeita.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.