crime

Polícia Civil conclui investigações e indicia homem suspeito de praticar vários crimes sexuais em ambiente virtual

Após manter um relacionamento virtual com a vítima, o homem passou a chantageá-la e exigir fotos e vídeos íntimos

03/04/2023 09h54
Por: Redação

A Polícia Civil do Estado do Tocantins (PC-TO), por intermédio da 13ª Delegacia de Augustinópolis, finalizou nesta sexta-feira, 31, as investigações envolvendo um caso de tentativa de “sextorsão”, ou seja, extorsão com a finalidade de obter vantagens de cunho sexual. O trabalho policial resultou no indiciamento de um homem de 25 anos residente no Estado de Alagoas pela prática dos crimes de falsa identidade (consumado), estupro simples (tentado) e divulgação de cena de nudez sem consentimento da vítima (consumado), em continuidade delitiva. 

De acordo com as investigações, a vítima procurou a Polícia Civil informando que um homem com quem teve um relacionamento superficial em uma rede social teria passado a constrangê-la, mediante grave ameaça, e a gravar vídeos íntimos, sob pena de divulgar as fotografias anteriormente encaminhadas.

Identificação e modo de agir

Após uma minuciosa investigação, a PC-TO conseguiu identificar o indivíduo que reside em Maceió (AL). Ele passava por um empresário, utilizando uma identidade falsa nas redes sociais. Com essa estratagema, ele teria conseguido enganar a vítima. “Após conseguir as fotografias íntimas, passou a exigir que outros vídeos íntimos fossem gravados e encaminhados, e caso não fosse atendido, realizaria ampla divulgação dessas fotografias”, explicou o delegado Jacson Wutke, responsável pelo caso. Inclusive, durante as ameaças, teria encaminhado essas fotografias para outras pessoas.

Durante a realização do inquérito policial, a Polícia Civil conseguiu reunir fortes indícios, ficando claro que o investigado era contumaz na prática do que se convencionou denominar “catfishing”. Nesse tipo de modalidade criminosa, os criminosos criam diversos perfis falsos na rede mundial de computadores para enganar outros usuários. Após conquistar a confiança, aplicam golpes, passam a extorquir dinheiro, vazam fotos íntimas, roubam dados pessoais e bancários, etc.

"O senso comum costuma ver a internet como ‘terra de ninguém’. Não é, nem nunca foi. Muito embora a legislação vigente não tenha acompanhado a contento a evolução da sociedade, principalmente em âmbito virtual, existem leis que, sejam gerais ou específicas, são inteiramente aplicáveis a esses delitos praticados na internet”, destaca o delegado Jacson Wutke.

Além do indiciamento pelos crimes de falsa identidade (consumado), estupro simples (tentado) e divulgação de cena de nudez sem consentimento da vítima (consumado), em continuidade delitiva, a Polícia Civil do Tocantins busca, junto ao Poder Judiciário, a aplicação de medidas cautelares diversas da prisão em desfavor do investigado D. S. G., especialmente a proibição absoluta de acesso à rede mundial de computadores por qualquer meio, incluindo redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Augustinópolis - TO Notícias de Augustinópolis - TO
Gurupi, TO
Atualizado às 03h03
21°
Parcialmente nublado Máxima: 35° - Mínima: 18°
20°

Sensação

1.96 km/h

Vento

38%

Umidade

Anúncio
Municípios
Anúncio
Últimas notícias
CLINICA
FÉCOMERCIO 2
Mais lidas
FECOMERCIO 01
Anúncio