Saúde

Revolta dos profissionais da saúde na semana da enfermagem

enfermeiros convivem com medo diário do vírus covid-19 e insatisfação da classe com salários

13/05/2020 12h14
Por: Redação
201

 

De 12 a 20 de março é comemorado a semana da enfermagem, atividade que em 2020 passa por sérias dificuldades. Os profissionais dessa área estão aflitos, mais do que o normal, pois convivem com o medo e as preocupações. 

Enfermeiros que atuam na cidade de Gurupi, no sul do estado do Tocantins, relatam algumas destas dificuldades. Eles reclamam das atividades, que vão além de suas atribuições, e que não estão sendo retribuídos de maneira correta.

Em nota, afirmam: (...) diante da desvalorização da enfermagem promovida pela atual gestão de Gurupi, é desumana a remuneração que estão sendo destinadas no valor de R$ 1.111,04’’; em outro ponto, "estamos todos sujeitos a nos contaminar, adoecer e morrer; se nós falecermos hoje esse será o valor que os nossos familiares receberiam do município’’, assim completaram. 

A categoria afima ainda que há uma demora nos testes rápidos: "em torno de 10 horas ou mais". Em Gurupi, uma enfermeira testou positivo e por causa do contato com outros colegas de trabalho eles devem fazer teste diariamente. Porém, por causa dessa demora, muitos ficam com medo de voltar para suas famílias sem saber se estão contaminados ou não.

Um dos enfermeiros ouvidos pela reportagem relatou que pessoas que trabalham no mesmo ambiente apresentaram sintomas, mas não conseguiram fazer os testes, e descreveu também que não foram solicitados testes para os trabalhadores de serviços gerais (limpeza e cozinha). 

Secretaria da Saúde 

Segundo o secretário da saúde, Gutierres Torquato, a realização dos testes são de acordo com o ministério da saúde e conduta médica. "Nenhum desses profissionais deixaram de fazer os testes, além disso é necessário que as pessoas apresentam sintomas para que seja realizados".

Gutierres ainda afirma que há uma grande quantidade de testes rápidos e caso se enquadre no SWAB estão sendo realizados normalmente. Porém se houver contato com alguém que deu positivo e não apresentar sintomas o ministério da saúde não preconiza a realização desses testes.

Um outro problema abordado pelos enfermeiros é a desvalorização da classe. De acordo com o secretário da saúde, o salário chega a superar a marca de R$ 3.000 reais, com as gratificações e insalubridade previstas na legislação.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.